Segundo semestre: analise suas finanças e programe-se para 2017

por Dora Ramos

Ainda que o endividamento das famílias tenha recuado de 59,6% em abril para 58,7% em maio, o primeiro semestre não foi nada fácil para grande parte da população. Uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio (CNC) mostrou que do total das famílias brasileiras, 23,5% têm mais da metade da renda mensal comprometida com o pagamento de dívidas.

Mesmo que você não se enquadre nesse cenário, agora é o momento certo para todos analisarem e organizarem as finanças a fim de ter um segundo semestre mais tranquilo. Afinal, 2017 chegará num piscar de olhos e acredito que ninguém queira iniciar um novo ano cheio de dívidas e sem perspectivas de melhoria.

O balanço financeiro pode ser feito por meio de uma planilha que contenha os principais gastos obtidos desde o início do ano. Dessa forma, deve ser analisado quanto de bens supérfluos você adquiriu para não repetir a dose no segundo semestre. Outra dica é que, para as dívidas contraídas em longo prazo – especialmente em cheques, carnês e cartões de crédito -, recomenda-se a checagem do prazo de vencimento dos débitos, evitando ao máximo que fiquem contas para os últimos meses e, de maneira alguma, para o próximo ano.

É importante também tentar criar um fundo para as despesas de início de ano, já que daqui seis meses chegam os impostos e contas como IPVA, IPTU, rematrícula e material escolar. Essa é uma boa alternativa para quem não quer desembolsar uma alta quantia de uma só vez ou então assumir parcelas de longo prazo.

Entrar em situação de endividamento é algo que tira o sono de qualquer pessoa, por isso, o mais indicado é que se tenha bom senso, sem se deixar levar por atos impensados. É preciso olhar para a atual conjuntura econômica com uma visão mais analítica, comprar de forma mais consciente e diminuir gastos desnecessários.

Para evitar complicações financeiras, é fundamental que os consumidores menos prevenidos se programem, mantenham o foco em gastos realmente imprescindíveis e evitem, desse modo, o acúmulo de dívidas para o final de ano, época que sempre queremos um dinheiro extra para gastar. Afinal, manter as contas em dia e o nome limpo é um fator importantíssimo para encerrar 2016 com tranquilidade e de bem com a vida!

Dora Ramos é educadora financeira e diretora da Fharos Contabilidade & Gestão Empresarial – www.fharos.com.br

Deixe um Comentário